A MÍDIA EM TEMPOS DE ALIENAÇÃO E ELEIÇÃO

Nós sabemos o quão é importante discutirmos política, principalmente neste ano, as coisas estão correndo para uma extrema decisão sobre nosso futuro cenário social. Como 2018 está sendo o ano em que os influenciadores digitais e mídias como blogs e sites ganharam uma enorme força de influência dentro de qualquer âmbito social, as fake news já eram previstas para tentar influenciar os rumores aqui no Brasil - e parece já está fazendo. Aliás, estamos num país que, de fato, precisa muito ler sobre o que faz, fala, lê e escuta. Afinal, temos pessoas defendendo a volta da ditadura militar para poder ter direito a liberdade de expressão, sendo que vivemos numa democracia, e este é um pensamento que vem sendo alimentado por conservadores que pretendem dominar os poderes públicos para defender interesses próprios e daqueles que financiaram a sua campanha, tornando pessoas mais ignorantes e cegas aos fatos, excluindo totalmente as minorias em prol do seu conhecimento limitado.

Hoje temos sites que foram formados para desmentir matérias sem nenhum contexto real, que faz tanto sucesso, alcança mais pessoas que as notícias realmente úteis à nação. Já era de se esperar os lados políticos adotarem o jeito Trump de vencer as eleições, a diferença é que possuímos grande influenciadores digitais, com enorme alcance, que vem se mobilizando a mudar esta realidade. Grandes blogs e sites também têm mantido táticas para não deixar a ignorância prevalecer entre seus leitores e iniciaram campanhas contra aquele-que-não-deve-ser-nomeado e passaram a compartilhar mais informações úteis. A CatracaLivre é um exemplo disso. A JoutJout continua firme e forte propagando o respeito, tolerância e a auto reflexão.

Mas qual seria o papel da mídia?

Já entrei em muitos debates que as pessoas acusaram grandes emissoras de TV de alienação e compartilhar uma ideia muito estereotipada sobre um assunto que vem tomando a sociedade, isso pode ser visto quando falamos sobre orientação sexual e representatividade de maneira correta. Afinal, estamos numa sociedade machista e racista, é normal que uma grande emissora que é comandada por pessoas, passe esse mesmo pensamento, pois está tudo muito enraizado nos nosso costumes e maneiras de ser e agir. A mídia, consequentemente, somos todos nós que criamos um perfil no Facebook e de vez em quando publicamos um fato sobre temas sociais, estaremos tendo audiência. Ou, caso crie o seu próprio site, terá visibilidade da mesma maneira. Mas independente de onde e como compartilhe as suas opiniões, faremos parte de uma mídia que possivelmente terá poder de alcance e influência sobre as pessoas. Nem que seja compartilhando notícias de sites, jornais, blogs ou do coleguinha.

Me sinto completamente honrado em ter tantos parceiros de trabalho gerando conteúdo em prol do social, apesar de 44% da nossa população não ter o costume da leitura, blogs e sites de grande porte ainda continuam gerando grandes números de tráfego e acessos. Um exemplo relevante é o Hugo Gloss, que tem em seu site uma média de 1,3 milhões de acessos por dia. Outro já citado, a CatracaLivre, possui mais de 60 milhões de acessos por mês, esses números, de certa forma, acabam nos fazendo perceber o quão os sites podem influenciar em algo. Infelizmente, ainda temos pessoas leigas na internet e precisamos conquistar e informar justamente estas pessoas que estão dispostas a ouvir.

Estou na internet, como blogueiro, há oito anos e desde então vejo como ela vem se tornando algo cada vez mais relevante e participativa dentro da sociedade, capaz de abalar qualquer campanha, estrutura ou governo. Fazendo um conteúdo se tornar viral rapidamente, então, se não entendeu até aqui como a mídia em geral pode alienar uma população ou fazer com que uma boa parte dela lute contra algo sem ter nenhum conceito firmado, somente com pré-conceito: recomendo que leia a minha primeira matéria, pois, precisamos falar sobre política.

Um comentário:

  1. OLÁ

    eu gostei demais do post inteligente. Não é fácil estar na posição de mediador de informação entre a sociedade e a notícia. Mas essa tarefa tem de ser feita, só não lê, se informa e evolui quem não quer.
    Política é assunto complicado. As pessoas parece que ficam cegas e só enxergam o que querem. Ainda mais nesse mundo de fake news, fica difícil argumentar com alienados.

    P.S.: Sei que o post não é da Karol, mas queria parabenizar pelo formato do blog novo. Realmente é um jornal informal, porém SUPER RECHEADO DE CONTEÚDO!

    beijo
    www.beinghellz.com.br

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.