A PRIMEIRA VEZ QUE PASSEI BATOM VERMELHO

FOTO/ REPRODUÇÃO GOOGLE
Quando eu era criança, nos anos 80, vivia escutando as seguintes frases dos mais velhos: “Mulher decente não coloca batom vermelho” e “Cosmético carmim é para mulher que não presta”.  Assim cresci achando que batom vermelho era algo ruim. Mas quando assistia às artistas de TV com cosméticos carmins achava a maquiagem bonita. Desta forma eu me perguntava: “Será que vermelha é uma cor quase proibida, pois é associada ao pecado?”.

Na adolescência nunca me atrevi a pintar os lábios com batom escuro. De vez em quando eu passava um brilho transparente ou um rosa claro na boca. Mas quando completei dezoito anos, resolvi fazer algo inusitado: passar batom ver

melho e sair pela rua. Assim fui a uma loja e comprei um batom desta cor. Então passei este batom nos meus lábios e pensei: “Será que me xingarão?”, “Receberei pedradas?”, “Mexerão comigo na rua?”.  Mesmo assim criei coragem e comecei a caminhar. Porém ninguém mexeu comigo.

Desta forma, resolvi visitar o Passeio Público, um zoológico que fica no Centro de Curitiba. Em uma das grades avistei aves que pareciam usar batons carmins. Me aproximei e estes pássaros chegaram perto do meu rosto como se desejassem beijar meus lábios. De repente, olhei na plaquinha de identificação: “O nome desta ave é bico-de-lacre”. Naquele mesmo instante amei o nome do pássaro.

Após isto fui à biblioteca pesquisar sobre esta ave e a origem do batom. Assim descobri que as Mulheres das Cavernas já usavam batom carmim passando tintas de frutas nos lábios. Depois li que as moças da Antiga Mesopotâmia pulverizavam minérios para decorar a boca. Também vi que na Inglaterra do século XVI a rainha Elisabeth gostava de passar carmim nos lábios porque assim se sentia com poderes sobrenaturais. Mas em 1770 proibiram as mulheres de usar maquiagem antes do casamento. Porém pintar a boca tornou-se popular entre as funcionárias de bordéis. No século XIX uma fábrica de cosméticos passou a fabricar batom de bastão e todas as mulheres, independentes de seu estado civil passaram a usar. Pois distribuíram desenhos de mulheres bonitas e recatadas usando batons carmins por todo o mundo.

Com relação à ave bico-de-lacre encontrei lendas interessantes nos livros. Notei que há uma versão dizendo que a ave era apenas da cor cinza e tinha o bico redondo. Mas tentou arrancar a coroa de espinhos de Jesus, assim o sangue dele espirrou no rosto do pássaro e seu bico ficou com formato de espinho.

Também li outra versão, onde uma rainha africana perdeu todos seus soldados homens numa guerra. Então pintou os seus lábios e de outras mulheres com a cor vermelha, fato que deu poderes sobrenaturais para elas. Assim as moças ganharam todas as batalhas que lutaram e se transformaram no pássaro chamado bico-de-lacre no final.

Hoje descobri que o batom vermelho fica bom em qualquer situação e com todo o tipo de roupa até mesmo calça jeans. Pois a Sandy, a Gal Costa, a Marisa Monte , a Cláudia Raia e a Letícia Sabatela usam batom carmim com jeans e ficam lindas.

Sinto que o batom vermelho dá um misterioso poder para mim, algo sobrenatural que traz pitadas de segurança e alegria.

Recomendo a toda mulher que nunca teve coragem de passar batom carmim na boca que experimente agora mesmo, saia na rua e sinta os conselhos da natureza sagrada e não das pessoas.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.