EGYPT STATION: UMA VIAGEM, UM RECADO E UMA HOMENAGEM

FOTO/ REPRODUÇÃO GOOGLE

Paul MacCartney lançou seu 17º álbum de carreira solo ainda em setembro, mais especificamente no dia 7 de setembro. Apesar do próprio já ter deixado claro que iria parar de cantar aos 80 anos, é bem possível que isso não aconteça, pois em plenos 76 anos Paul ainda faz show, lança disco e escreve músicas como se tivesse começado ontem junto com os “Garotos de Liverpool”.

Egypt Station foi gravado em Los Angeles, Londres e Sussex, a maior parte do álbum foi supervisionada por Greg Kurstin, conhecido por ter escrito a balada “Hello” da cantora Adele. Enquanto “Fuh You”, uma das 16 faixas do álbum de Paul, foi produzida por Ryan Tedder, vocalista da banda OneRepublic. “Há algumas canções de rock e outras que são mais acústicas, e há uma influenciada pelo estilo brasileiro. Ele (Paul McCartney) queria evitar qualquer coisa comum. Ele queria experimentar”, disse Kurstin durante uma entrevista para a revista Rolling Stone.

A capa do projeto é na verdade um dos quadros que Paul MacCartney pintou e batizou com o mesmo nome do disco. “Gostei das palavras ‘Egypt Station’. Elas me lembram dos discos em vinis que costumávamos fazer. O álbum começa na primeira música em uma estação e a cada faixa visitamos uma nova. Foi essa a ideia que seguimos para criar cada música do álbum. Acho que ela veio de um sonho, mesmo lugar de onde as músicas surgem”, disse McCartney em um comunicado à imprensa publicado pelo site NPR.

O álbum ainda traz uma faixa em homenagem ao Brasil: “Back In Brazil” uma música dedicada às terras brasileiras e aos fãs de Paul por aqui. Além de uma homenagem temos também uma parábola em meio as suas canções, dentro de sete minutos e quatro melodias diferentes, “Despite Repeated Warnings" fala sobre a luta contra mudanças climáticas e seus detratores, como Donald Trump. O álbum ao todo conta com 16 faixas.

O cantor, ainda disse que considera o disco como um diário de viagem, não só geográfico, como também metafísico. E isso fica explicito já na primeira faixa, onde somos levados pelo som do trem, antes de começar “I don’t Know”.

Com toda certeza Egypt Station é uma viajem no melhor estilo diversificado que Paul poderia fazer.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.