UNIFORMES DE HANDMAID'S TALE SE TORNAM SÍMBOLO DA RESISTÊNCIA



Não muito longe da nossa realidade, a série "The Handmaid's Tale" aborda um futuro nada contente para a sociedade. Através de um golpe, os Estados Unidos acaba sendo dominado por um grupo religioso extremo transformando o país em Gilead e influenciando outras nações pelo mundo. As minorias, mas principalmente as mulheres, acabam sendo extremamente marginalizadas.

Nesse futuro engravidar se tornou uma coisa mais difícil e rara, sendo assim, as poucas mulheres que conseguem são exploradas pelos comandantes. Elas são chamadas de aias e são facilmente descartadas após darem a luz à um bebê forçado e serem obrigadas a os deixarem com as famílias disfuncionais dos comandantes.

Recentemente, manifestantes começaram a se vestir com o uniforme das aias mostradas na série. Neste ano, um grupo ficou em silêncio do lado de fora da sala do primeiro dia de audiências de confirmação do juiz Brett Kavanaugh, acusado de abusos sexuais.

"É incrível, lisonjeiro e horrível", diz o showrunner Bruce Miller. “Você deseja que vivesse em um mundo onde, quando as pessoas se vestem como ais, seria apenas Halloween e não uma declaração política. Eu gostaria muito que nossa série se tornasse irrelevante - interessante, mas completamente fantástico”.


Os protestos com as roupas das aias não se limitam aos EUA, eles surgiram em todo mundo em manifestações pelos direitos das mulheres. Assim como as máscaras de "V de Vingança" se tornaram símbolos, os uniformes de servas estão se tornando símbolo de uma revolução. É a linha onde a cultura pop encontra o mundo real e seus problemas reais.

Madeline Brewer, uma das estrelas de "Handmaid's Tale" diz: "Quando você vê mulheres vestindo roupas vermelhas na rua protestando contra alguém que quer literalmente tirar a autonomia corporal de todas as mulheres, é por isso que fazemos isso."

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.