O MUNDO SOMBRIO DE SABRINA VALE OU NÃO ASSISTIR?

Terror sobrenatural desenvolvido por Roberto Aguirre-Sacasa para a Netflix é baseado em quadrinho de mesmo título

FOTO/ REPRODUÇÃO JOVEM NERD
Apesar de todo o alvoroço que a Sabrina tem causado além da conta, mesmo depois do seu lançamento pela Netflix, a série ainda possui alguns estereótipos suaves em relação à bruxaria. O principal deles: “bruxas ‘louvam’ a satanás”, gatos pretos e roupas pretas. Mas, com um pouco mais de pesquisa entendemos bem que a religião Wicca (Bruxaria, no dito popular brasileiro) não possui laços com a religião satânica, se envolvendo mais com a magia branca.

Mas, vale a pena ser assistida?”, com toda certeza vale a pena. O enredo é bem casado e possui certo mistério, nada exagerado, sobre quem seria Sabrina e qual sua influência no mundo do Senhor das Trevas.

Bom, para quem ainda não conhece o enredo faz menção a Sabrina Spellman uma garota de 16 anos que deve conciliar sua vida mortal com sua vida de bruxa, enquanto isso a menina precisa lutar contra as forças malignas que ameaçam a ela, seus amigos e familiares, além de manter os seres humanos a salvo e “cegos” diante do mundo que convive com eles lado a lado.


A série já possui sua primeira temporada completa com 10 episódios lançados na Netflix, e um especial de Natal. E os fãs podem sim ficarem felizes porque houve uma confirmação e teremos uma segunda temporada e uma renovação para a terceira e quarta temporada, anunciadas ainda em 2018. A segunda temporada chega a meados de Abril desse ano ainda.

O QUE VEMOS NOS ENREDO DE SABRINA?


Baseada em uma série de quadrinhos de mesmo título temos ótimas referências. Feminismo seria o primeiro tópico a ser declarado na série. É bem perceptível a atuação de Sabrina e as garotas de seu círculo, inseguranças na vida adolescente, ativismo, sororidade, e muitas outras pautas que valem a pena estarem na série.

Anos 50. Quem aqui não reparou no estilo de Sabrina Spellman? A menina parece ter saído de outra década. O cabelo, as roupas, o batom marcante (vermelho) com o cabelo loiro – alguém se lembra da Marilyn Monroe? Só falta a pintinha próxima a boca.

Falso Deus”? Para quem assistiu sabe bem do que estou falando. A descrença daqueles que louvam o Senhor das Trevas no Deus humano. Parece uma inversão de situações: bíblia satânica, igreja do Senhor das Trevas (onisciente, onipotente e onipresente) e um tipo de batismo para que seja agraciado com novos poderes.

Inquisição. Utiliza-se bastante da história antiga e muitos relatos são verdadeiros. Houve uma época em que mulheres que eram consideradas bruxas foram enforcadas, queimadas, mortas pela igreja católica. Os bispos da época abominavam toda e qualquer tipo de ritual pagão que não seguisse o padronizado pela igreja, não foi a toa que o próprio Satanás (inclusive representado assim na série) seria uma analogia do Deus Cornífero na religião pagã Wicca – interessante não?


Salem. Algumas coisas nunca mudam certo? Apesar de termos noção que a série não tem relação nenhuma com a série da década de 90, “Sabrina – Aprendiz de Feiticeira”, o gato delas talvez tenha algo a ver (toda bruxa tem um gato preto né gente?), as duas tias que criam e cuidam da menina, bem como a ensinam os caminhos da magia, o garoto por quem ela gosta – acredito que haja mais coisas em comum do que pensávamos.

Bom, para quem ainda não assistiu: está perdendo tempo, vá agora assistir. E para aqueles que assistiram: o que acharam? Concordam com alguns tópicos?

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.