ads top

A MORTALHA DA SELEÇÃO E OS PANOS PRETOS NA JANELA

Domingo, dia 26, houve vários protestos em apoio ao atual governo. Tinha de tudo: pessoas com bandeiras dos EUA, cartazes apoiando um golpe militar e até monarquistas. Foi um verdadeiro proselitismo, vestidos com a camisa da seleção brasileira em marcha, suspirando em meio a uma realidade devastadora. Foi uma micareta conservadora. Um fato histórico ter observado que a direita, um dia, chegaria a ir para as ruas, apoiando as atrapalhadas de um governo, que ainda não saiu da campanha eleitoral.

No dia 25, o deputado federal Eduardo Bolsonaro se casou em uma noite glamorosa em Santa Teresa, Rio de Janeiro. A cerimônia contou com um forte esquema de segurança. Na festa, compareceram o presidente Jair Bolsonaro e sua esposa. Também, estiveram presentes o vereador Carlos Bolsonaro e o senador Flávio Bolsonaro (Investigado em esquemas de caixa 2 e lavagem de dinheiro).

Os moradores da região de Santa Teresa realizaram protestos contra a presença do clã Bolsonaro na região. Foram pendurados, nas janelas, panos da cor preta. Um morador que tocou algumas músicas de Chico Buarque como protesto. O som das músicas de Chico Buarque era notável na entrada do local onde ocorria o casamento. Foi uma cerimônia arrodeada de um forte esquema de segurança e de protestos.

“Fascista e Nazista!” gritavam os moradores da região, que carregavam cartazes. Isso tudo ocorreu um dia antes do encontro dos “camisas verde e amarela”. Interessante observar a ênfase dada pela mídia aos protestos recheados de vuvuzelas e camisa da seleção. Mas os protestos de Santa Teresa não tiveram o intuito de atrapalhar o glamour dos excelentíssimos convidados, e muito menos foram movidos por alguma ideologia de esquerda, que tanto esse governo tem falado, esquecendo os verdadeiros problemas do povo. Santa Teresa encontrava-se sem energia há 1 ano, só restabelecida no dia do casamento, assim como a troca de iluminação pública e o recapeamento do asfalto. Nessas horas, eu me lembro daquele trecho da música de Chico Buarque, que ele dizia: “em tenebrosas transações”. Muitos saberão de qual música estou me referindo, e outros ainda continuam “dormindo distraído” enquanto a música toca. A esperança que fica é a de que isso tudo “vai passar”...

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.