OPINIÃO

GUARDIÃO DO MEDO: UMA LEGIÃO DE ANJOS E DEMÔNIOS FUGINDO DO CLICHÊ


Sinopse: Alexander está morrendo pouco a pouco em um hospital. O câncer está consumindo seu corpo por dentro, minuto a minuto. E ele quer morrer logo. Rápido. A vida que ele viveu não deixa dúvidas de que o Inferno é sua próxima parada, mas ele não contava que um anjo viria ajudá-lo. Raya, a Guardiã, de asas negras, olhos azuis e mistérios e mais mistérios. Contudo, o que ele deveria pensar quando seu anjo protetor está escondendo algo importante? E quando tenta matá-lo?
Em meio à loucura, aos pesadelos desesperadores e às perdas cada vez mais frequentes, ele se vê dentro de uma disputa muito além do imaginável, entre os Guardiões da Criação e as Filhas de Daemon. Ele é importante, para ambos, tanto para a Luz quanto para as Trevas. Porém, qual será a melhor escolha? Viver imerso nos segredos e omissões de Raya ou ser inundado pelo poder extasiante do Inferno?
Autora: Michelle Pereira
Editora Garcia
Ano: 2016

Ninguém tem a vida que deseja ter, Alexander. As pessoas têm de se adaptar ao que lhes é dado e valorizar as pequenas coisas que as fazem felizes. Ninguém pode ter tudo que quer. Porém, há uma escolha: você pode se alegrar com o que tem, ou viver em desgosto por uma coisa que não pode ter.

Michelle Pereira, autora do livro Guardião do Medo, faz seus autores irem até as profundezas do desprezo e da ruindade de Alexander. Alexander é um jovem órfão de 21 anos que se encontra em um estado terminal do câncer. O garoto está internado em um hospital público desde a descoberta da doença. O que ele mais deseja é morrer logo e por isso amaldiçoa, constantemente, O Criador (aqui representando Deus), o universo, o destino e acredita, ainda, que seu lugar é no inferno.

Raya, é um anjo, não qualquer anjo. É a guardiã de Alexander. As asas negras, os olhos azuis e todo o mistério que ela deixa quando precisa voltar fazem com que Alexander acabe se aproximando mais e mais dela. Será isso algo a mais? O menino não sabe dizer, porque nunca sentiu nada mais do que desprezo pelo próximo. E mesmo quando achava que seu lugar era no inferno, o menino não consegue acreditar que possa ser bom e que pessoas boas ainda estejam no mundo.

Seria muito bom poder fugir da realidade.


E ele continua querendo morrer.

O coração de Alexander aos poucos vai encontrando dúvidas sobre as verdades absolutas em que ele tanto fez questão de acreditar durante sua vida. E tudo muda de vez quando o mesmo conhece Matheus, um garotinho de 8 anos órfão que está com câncer em fase terminal. Lúcia, a enfermeira que cuida dele, também faz o coração do garoto amolecer, mas a vida tem seus altos e baixos e suas surpresas, e talvez a própria vida não seja algo que o menino vá, somente, perder.

A vida é isso aí. Cheia de altos e baixos. Às vezes, mais baixos do que altos, mas mesmo assim, compensa.


É a primeira vez que leio algo da autora, e como gostamos de trazer muitos autores (enredos) nacionais Michelle Pereira saiu como a escolhida da vez. A escrita da autora é leve e tranquila, fácil de ser entendida. O enredo é bem elaborado e possui um certo Q de mistério, nada muito surpreendente também, que nos faz prender a atenção e ficar com aquele gostinho de “só mais um capítulo”.

No entanto, não vi muita ação. O enredo é muito bom e foge do clichê tradicional de anjos caídos e demônios que se apaixonam por pessoas terrenas. É tudo sobre escolhas, sobre o bem e o mal, sobre crenças (fé) e as consequências. Julgaria até dizer que, talvez (mas é talvez mesmo) a autora tenha estudado um pouco do espiritismo, afinal temos aí uma menção leve as reencarnações. Algo que a própria personagem Raya coloca sobre Alexander passar por tudo o que está passando.

O que esperamos é que nosso leitor possa entrar em contato com o mundo dos Guardiões e dos Daemons e seguir em frente com as escolhas de Alexander.

Eu não me sinto tomado pelas Trevas. Também não me sinto tomado pela Luz. Mas na verdade, quem é puro? Quem é puro em Trevas? Quem é puro em Luz? Ninguém. Somos todos a parte de um Universo onde coexistem Trevas e Luz, Bem e Mal. Somos todos constituídos desta dualidade de naturezas.


Alguém já leu? O que acharam? Conta ai para a gente!

1 COMENTÁRIOS

  1. Ahhhhh adorei a resenha! Obrigada demais!
    Tentei fugir ao máximo dos clichês, que bom que consegui e que isso agradou.
    Um beijo!

    ResponderExcluir

My Instagram