ÚLTIMAS POSTADAS

GUERRA, MENTIRAS E PODER NA OBRA “HONRA OU TRAIÇÃO” DE TUKA VILHENA

FOTO/ REPRODUÇÃO KAROLINI BARBARA
Sinopse: Na conturbada Escócia de 1359, no meio da Guerra dos Cem anos, quando a honra de um homem era medida pela obediência ao Lord, a consciência de Ewan Davidson exige que ele traia seu próprio clã, porém sua decisão irá desencadear uma série de eventos que ameaçarão a frágil paz nas Highlands. Adreanna Macpherson tinha sua vida esquematizada, até a traição de Ewan mudar todo seu destino e ela tem de enfrentar não somente o ódio, entre os vários clãs, mas principalmente os códigos de honra e as tradições, tão fortemente enraizados na cultura medieval.
Autora Tuka Vilhena
Editora Skull

FOTO/ REPRODUÇÃO KAROLINI BARBARA
O enredo se passa na Escócia de 1359: Guerra dos Cem anos, clãs, códigos de honra e tradições. Uma era medieval. Ewan Davidson é um rapaz que passou parte da sua adolescência sendo treinado e criado pelos Mackintosh, e então, já no auge e bem preparado retorna ao seu clã, os Davidson. Ewan acaba por descobrir que seu pai Fergus, assim também Lord do clã Davidson, declarou sua filha Màiri como morta, em consequência de sua cegueira ocasionada ainda quando nova, e deserdada de todo seu poderio. Ewan não suportando o que se passa com a irmã, decide fugir com ela, levando consigo Iain (filho bastardo de Fergus Davidson).

Ewan decide por pedir exílio junto ao clã Machpherson, pois Màiri é filha de Lady Elspeth, que é irmã de Kenneth Macpherson, Lord do clã em questão. Apesar de todas as alegações o clã Macpherson os recebe e abriga com certa desconfiança, ao que tudo indica o tratado de paz nas Highlands estão por um fio, e o clã Davidson e Macpherson podem estar prestes a entrarem em guerra.

Enquanto Ewan fica em estádia junto ao clã Macpherson ele conhece Andreanna, filha do Lord, mesmo estando prometida em contrato de casamento ao Nial Shaw isso não a impede de sentir-se atraída por Ewan e vice-versa. Os laços entre os dois ao decorrer da história vão se estreitando, até que ambos não possam mais negar o que sentem um pelo outro.

FOTO/ REPRODUÇÃO KAROLINI BARBARA
Se eu contar mais darei spoilers, e essa não é a função da resenha para o caro leitor.

O livro é escrito em terceira pessoa. Assim dentro dos capítulos nós temos uma noção bem clara da posição e das tomadas de decisões entre todos os personagens. A linguagem, acredito eu que a autora tenha estudado bastante a respeito, é culta, diria que até um pouco rústica mesmo, seria o vocabulário utilizado na época.

Nós temos personagens femininas de personalidade forte e que possuem uma participação forte dentro enredo. Tanto para Andreanna que é filha de um Lord, quanto para Màiri que foi deserdada pelo pai por conta da sua cegueira.

No entanto, mesmo que o enredo seja conciso e não deixe nenhuma ponta solta, seja de fácil compreensão, para alguns leitores poderá ser maçante. Existem muitos debates a respeito de tudo o que se passa, para uma possível guerra estourar entre os clãs, mas não existe uma guerra de fato. Porque somos apresentados a muitas suposições e desconfianças, e como todo bom enredo que se passa entre épocas passadas trata-se de um jogo de poder por meio de vinganças e mentiras.

FOTO/ REPRODUÇÃO KAROLINI BARBARA
E qual é meu conselho? Que você baixe o ebook pela Amazon ou compre o físico pela editora Skull, ou nas lojas credenciadas, e o leia e tire suas próprias conclusões.

Nenhum comentário