domingo, julho 19, 2020

CURSED – A LENDA DO LAGO É A PRÓXIMA APOSTA DA NETFLIX EM FANTASIA E CASA BEM


Cursed – A Lenda do Lago foi mais uma das estreias da Netflix esse mês de julho, e está dando o que falar. A série se caracteriza pela chocante mistura de ingredientes relacionados aos contos tradicionais da lenda de Rei Arthur e a Espada Excalibur

O enredo é baseado na obra reescrita por Thomas Wheeler e ilustrado por Frank Miller, quadrinista responsável pelas obras Batman: O Cavaleiro das Trevas e Sin City

A trama da série se baseará na história de Nimue, estrelada por Katherine Langford. Nimue é uma jovem do povo feérico que recebe a missão de entregar a espada mágica Excalibur para Merlin, o mago mais antigo e que está longe de ser o homem mais respeitado e sábio – parece que os dias de glória de Merlin chegaram ao fim. Merlin vive como conselheiro do rei Uther Pendragon. Após a violenta e sanguinária invasão dos Paladinos Vermelhosexército que seria um tipo de inquisição – Nimue parte em uma jornada em busca de salvar seu povo. 


No meio disso tudo Nimue conhece o jovem Arthur, um mercenário que luta ainda para encontrar sua honra e mostrar seu valor ao tio. 

Para aqueles que já se depararam com as lendas e produções sobre a história do Rei Arthur, esqueçam todos os enredos que já viram e vejam a lenda sob uma nova perspectiva e roupagem. 

HUMANIZAÇÃO DOS PERSONAGENS

De início podemos nos assustar com Nimue sendo a personagem principal que desenvolve toda a trama, no entanto, ainda sim deixa o telespectador curioso em relação ao que esperar dessa nova lenda do Rei Arthur. Nimue nos é apresentada como uma adolescente que tem medo do grande poder que carrega em suas veias e das responsabilidades que virão junto com eles. Para a menina nada a faria mais feliz do que se ver livre da vila onde mora e de todos os moradores que a temem. A personagem cativa e nos envolve, sua empatia e compaixão, a personalidade e amadurecimento são pontos fortes que nos fazem querer acompanhar sua jornada. 

Arthur também surpreende, fugindo do convencional personagem sempre justo e sábio, e vamos a nova roupagem de um Arthur mercenário. E é interessante a nova construção, porque estaremos diante de alguém que está perdido em seus próprios problemas, aparentemente sem soluções, nos fardos que carrega desde criança e que agora possui a oportunidade de encontrar seu caminho e sua honra. Em certo momento é possível se irritar com suas atitudes imaturas e pouco altruístas, mas é bom ver que o personagem se desenvolve e amadurece até chegarmos ao último episódio. 

Merlin se transforma em um falastrão, mentiroso, bêbado, sem os poderes que o fazem ser o mago que é, mas que possui um ótimo cérebro para planos mirabolantes em busca de conquistar seus objetivos, e mesmo assim somos cativados por essa nova roupagem do personagem. O ponto máximo do personagem é construído até alcançarmos o 10° episódio e vermos Merlin em ação. 


Todos os personagens construídos na história original do Rei Arthur aparecem: cada um com novas características e uma nova história por trás do que são. Com certeza surpreende. 

TEREMOS UMA CONTINUAÇÃO?

Esperamos que haja mesmo uma continuação. No último episódio da série muitas pontas ficam soltas para possíveis finais (felizes ou não), o embate ainda não travado entre os povos, o que será da espada e da ordem dos Paladinos Vermelhos, etc. Sabemos bem que para que haja renovação é imprescindível a boa recepção por parte do público, mas queremos uma 2° temporada para um desfecho que nos deixará curiosos até lá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário