sábado, outubro 10, 2020

‘CARMILLA’: A PRIMEIRA HISTÓRIA DE VAMPIROS PUBLICADA 25 ANOS ANTES DE DRÁCULA


Publicado ainda em 1872, por Joseph Thomas Sheridan Le Fanu, a trama contará a história de Carmilla: A Vampira de Karnstein através da jovem Laura

Laura é uma jovem de 19 anos que vive isolada com seu pai em um castelo na Estíria – região do antigo Império Austro-Húngaro. Em uma bela tarde qualquer, enquanto passeava aos arredores do castelo junto a seu pai, Laura e o homem percebem uma carruagem chegando perto da entrada de sua residência até que o objeto acaba por sofrer um acidente e tombar em frente ao castelo.

Ela apertou minha mão, cobriu-a com as dela, e seus olhos brilharam quando, olhando ansiosamente nos meus, sorriu de novo, e corou.

Motivados a irem ajudar aqueles que estavam na carruagem, os mesmos conhecem uma estranha mulher que alega estar com sua filha que sai da carruagem tombada ainda desacordada. Já é tarde e a mulher convence ao pai de Laura para que sua filha permaneça por três meses em seu castelo até que a mesma retorne e a busque curada do suposto susto que tomara. Seria ela Carmilla.

Mesmo não cientes de quem se tratariam a jovem e sua suposta mãe o pai de Laura permite que Carmilla permaneça em seu castelo e faça companhia a sua filha, Laura. 

Imagino se você se sente tão estranhamente atraída por mim como me sinto por você; nunca tive uma amiga... Encontrarei uma agora?

O que Laura não poderia esperar era que a beleza exuberante da mulher de cabelos escuros e compridos fosse deixa-la apaixonada, e que um sentimento de terror também a deixaria inquieta por trazer à tona pesadelos vividos ainda em sua infância.

Como intitulado, Carmilla é a primeira história de vampiros da literatura, sendo esta publicada 25 anos antes de Drácula. Também considerada uma das obras mais importantes e influenciadoras da literatura de terror; muitos elementos ainda hoje presentes da ficção vampírica se originaram em Carmilla, como a mulher-vampiro que seduz suas presas e a aproximação entre vampirismo e a sexualidade. 

Ela me interessava, e me conquistou; ela era tão linda e tão indescritivelmente atraente.

O conto curto e fácil de ser levado até o fim é contado pelas óticas da narradora Laura, a quem esteve frente a frente a todos os acontecimentos da época em que ocorreram. Fica claro durante a história que Carmilla sente apreço pelo sangue apenas de jovens moças, e existe um suave romance entre Laura e Carmilla mesmo que o final não seja feliz, como esperaríamos. Apesar do encantamento inicial e todas as demonstrações de afeto por parte de Carmilla, o autor deixa claro a sua natureza assassina por se tratar de uma vampira, inclusive sendo ela a única de seu clã. 

Para alguns a história poderá ser considerada arrastada, por ter um enredo mais parado e cheio de mistérios e suspense. Mas consegui me prender ao enredo e me encantar com Laura e Carmilla, mesmo que a segunda tivesse sua natureza perversa. A ambientação, sendo ela vitoriana, trás elementos da literatura gótica e de terror, como por exemplo morar em castelos e vilas abandonadas com histórias supersticiosas contadas pelos cidadãos ao redor. Com toda certeza é um clássico que vale a pena ler e apreciar. 

A verdade era que eu me sentia inexplicavelmente influenciada pela linda estranha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário